SP Coimbra

A Sociedade de Porcelanas de Coimbra terá sido fundada em 1922. É conhecida pelo uso da marca Coimbra S.P, inicialmente o seu logótipo era um círculo cujas figuras centrais citavam as Armas da Cidade de Coimbra. Em 1936 devido a problemas económicos foi adquirida em parceria pela Vista Alegre e pela Electro-Cerâmica do Candal. No final dos anos 40, a Vista Alegre adquire também a Electro-Cerâmica do Candal, passando então a ser a única proprietária da Sociedade de Porcelanas de Coimbra, e anos mais tarde entra num período em que a fábrica usa as duas marcas nas suas peças. No entanto a sua produção mantêm-se independente da Vista Alegre.

SP teve sucesso na loiça utilitária (serviços de jantar e de chá) quer junto das empresas - hoteleira e de restauração -, quer a nível dos consumidores particulares. Produziu ainda alguma porcelana artística aproveitando os poucos pintores que conseguiu repescar nas outras fábricas já existentes.

O sucesso da porcelana em Portugal, especialmente a partir da II Guerra Mundial, tem a ver, por um lado, com o desenvolvimento industrial, e, por outro lado, com o forte aumento do consumo que se foi verificando no Ocidente. O desenvolvimento industrial traduziu-se numa melhoria dos equipamentos e das técnicas de "impressão" dos desenhos na pasta. O aumento do consumo teve a ver com a melhoria das condições de vida das populações. As empresas portuguesas do ramo, especialmente a Vista Alegre, incrementam a sua vocação exportadora.

A porcelana foi sempre melhor que a faiança: mais limpa, mais duradoira, mais bonita. Tinha um senão: era demasiado cara e, por isso, pouco acessível a todos. A partir dos anos 1960´s os preços aproximaram-se mais e o mercado começou a pender para o lado da porcelana. 

A Fábrica de Loiças de Sacavém, que dominou toda a primeira metade do século XX em Portugal, poderia agora ter os dias contados.

A Vista Alegre apercebeu-se da evolução do consumidor e do perigo que as duas empresas referidas poderiam representar a nível interno. Comprou a Empresa Electro-cerâmica nos anos 1940´s - 1945 (?) - e a Sociedade de Porcelanas nos anos 1950´s praticamente com a intenção de as encerrar. Trabalharam durante algum tempo na indústria cerâmica e foram reconvertidas. Logo após ser adquirida, a Sociedade de Porcelanas ainda produziu produtos para a exportação com dois carimbos, o seu e o da Vista Alegre.

Acabaria por encerrar em 2005 após período conturbado entre a sua Administração e os trabalhadores. As suas peças primaram pela porcelana fina, em que sobressairam os serviços.


Fontes: https://www.forum-numismatica.com

https://mercadoantigo.weebly.com/coimbra.html